ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS - 5 dicas de Jorge Paulo Lemann para empreender com sucesso

ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS - 5 dicas de Jorge Paulo Lemann para empreender com sucesso

  11 de maio de 2022            Revista PEGN - Globo

Jorge Paulo Lemann é um empresário que serve de inspiração para muitos empreendedores brasileiros. Homem mais rico do país, segundo a Forbes, com fortuna estimada em R$ 71,6 bilhões, ele iniciou sua trajetória de sucesso na década de 1970. Desde então, tem investido em negócios promissores, formando um império ao lado dos sócios Marcel Herrmann Telles e Carlos Alberto Sicupira.

A sua carreira como empreendedor teve início oficialmente com a compra do título da corretora Garantia, em 1971, que ele transformou no maior banco de investimentos do Brasil. O banco se tornou o primeiro a adquirir uma empresa de outro setor para investir no seu crescimento — as Lojas Americanas, em 1983. Em 1989, comprou a Brahma e, 10 anos depois, conseguiu fez a aquisição da Antarctica, criando a Ambev – hoje, AB InBev, maior cervejaria do mundo.

A trajetória é longa, envolve sociedade com Warren Buffett, investimento em marcas estrangeiras, como Heinz, Burger King e Popeyes, e a filantropia, a que o empresário tem se dedicado nas últimas décadas, principalmente no setor da educação, com a Fundação Estudar e o Gera Venture Capital, focado em investimentos na área.

Um dos maiores empresários do país, Lemann participou da primeira edição do Volpe Day, evento realizado nesta segunda-feira (9/5) pelo fundo de venture capital Volpe Capital, ao lado de Marcelo Claure, que deixou a liderança do SoftBank no início do ano para investir em empresas com a Claure Capital.

Veja a seguir cinco conselhos dados por Lemann durante o painel:

Faça boas contratações

Apesar de não se definir como uma pessoa muito sociável, Lemann aponta que ao iniciar a sua vida como empresário, em 1971, percebeu que precisava atrair os melhores talentos para conseguir alcançar os seus objetivos. “Eu não tinha capital, não tinha um nome. Me esforcei em encontrar os melhores funcionários e em avaliá-los sempre, para descobrir quem eram os melhores e o que era preciso ser feito para aprimorar suas habilidades”, afirmou. Mesmo quando já estava no comando de empresas maiores, como a Brahma e as Lojas Americanas, o empresário diz que manteve a política de atrair os melhores talentos e manter contato próximo para saber quem entregava o que tinha prometido.

Não descarte o componente sorte

Em sua empreitada como investidor, Lemann procura empreendedores fanáticos, que demonstram que querem fazer suas empresas alcançarem o topo. Mais do que analisar diplomas de grandes universidades ou currículo de dar inveja, o empresário busca aqueles que mostram que vão colocar a mão na massa e executar o serviço. “Um bom empreendedor é um fanático, que quer fazer acontecer. Se ele seguir em frente, a sorte vai aparecer em seu caminho”, pontuou. Lemann ressalta que a sorte ajuda, mas pode aparecer quando algo muito ruim acontece, como o mercado em crise ou algum plano que deu errado. O bom empreendedor enxerga esses momentos de virada como oportunidades. “Quando algo dá errado, não desista de primeira. Sempre há uma oportunidade, desde que você não esteja falido. Continue tentando”, disse.

Esteja aberto a mudanças

Aos 82 anos, Lemann afirma se sentir um dinossauro, diante do avanço tecnológico dos últimos tempos. Mas se engana quem pensa que ele parou por conta disso. “Não entendo muito do assunto, mas posso encontrar os empreendedores fanáticos que entendem melhor do que eu, financiá-los e ajudá-los de outra forma”, afirmou. Aqui, a dica de Lemann é estar sempre pronto para aceitar que as coisas mudam o tempo todo e, por isso, é preciso se adaptar. Seguir insistindo em uma estratégia que funcionou no passado pode não dar frutos para sempre. “O mundo se move rápido e a tecnologia lidera atualmente. É preciso se adaptar o tempo todo”, declarou.

Construa a longo prazo

Quando começou a empreender, com a abertura do Banco Garantia, Lemann relembra que contratou pessoas agressivas, que queriam fazer dinheiro rápido e foram atraídas pelos grandes bônus oferecidos pela empresa semestralmente. Em pouco tempo, ele percebeu que, apesar de competentes, estes funcionários não estavam interessados no crescimento da empresa a longo prazo. “Percebemos que precisávamos atrair outro perfil e gradualmente evoluímos. Até hoje examinamos isso: quem incentivar? Como incentivar? Queremos que pensem a longo prazo para construirmos juntos uma empresa maior e melhor”, conta. Hoje, os bônus são ofertados em prazos maiores, a cada cinco anos, a partir de resultados avaliados por métricas.

Alie-se a bons sócios

A parceria entre Lemann e os sócios Marcel Herrmann Telles e Carlos Alberto Sicupira nasceu ainda nos anos 1970, quando abriram o Garantia. Depois de mais de 40 anos juntos, dá para afirmar que a sociedade deu certo. Mas qual é o segredo?

Segundo Lemann, juntar forças a partir das diferenças. “Cada um tem sua característica e sua força e ajudará o máximo que puder. No meu caso, nós três somos muito diferentes, e isso nos beneficiou de grande forma. Ser igual não significa uma boa sociedade”, afirma. O empresário também frisou a importância de buscar pessoas com ética profissional, em quem você possa confiar e que o ajudem a conquistar aquilo que não conseguiria sozinho.

Para se preservar de dores de cabeça no futuro, o empresário dá a dica: deixar tudo muito claro antes de iniciar a sociedade. “Sempre resolva previamente, contratualmente, desde o início. Caso não dê certo, está lá. Já tivemos cerca de 200 sócios desde o início do Garantia e temos muito orgulho de nunca ter ido para a Justiça”, pontua.